chupeta

Chupeta: vilã ou mocinha?

O uso da chupeta gera muitas polêmicas, tanto entre mães, como na sociedade. Há quem garanta que o uso é um alívio para muitas mas uma abominação para outras. Nesse artigo, vamos falar um pouco sobre esse acessório tão desejado pelas crianças e mães, que só pensam em acalmar seus filhos.

Toda mãe já pensou na possibilidade de dar a chupeta para seu filho. Se disser que não, pode ser uma mentirinha! Muitas pessoas, sendo mãe, familiares, e profissionais da saúde não apoiam o uso e outras pessoas a recomendam. Vamos explicar o porquê.

A chupeta é um acalento para a criança, trazendo paz ao choro, sono, e tranquilidade. Todo o bebê, desde a gestação, aprende a sugar. Sugar faz parte do seu ser, tranquilizando-o e também trazendo sua fonte de energia e alimentação, que é o leite. Muitos pais introduzem o uso da chupeta na rotina do bebê porque sabem que ao sugar, se acalmam, e também se tranquilizam durante uma crise de dor, como de cólica por exemplo.

→ Como tornar o processo de amamentação mais simples

No início da vida, não é necessário se preocupar com a dentição do bebê, pois no primeiro ano de vida, o acessório não atrapalha a dentição, pois as mudanças estão acontecendo.

A ferramenta de distração também auxilia o bebê na pega de bicos artificiais e ajuda o bebê a sugar melhor, já que estará treinando isso o tempo todo. Há pessoas que dizem que o bebê que chupa chupeta deixa de sugar o seio materno, porém é um ideia relativa, já que a chupeta não tem leite, e o seio tem, e os bebês sabem diferenciar.

Os contras do uso da chupeta são muitos. Voltando ao que disse acima, muitas pessoas dizem que pode atrapalhar a sucção do seio materno, e existem estudos que comprovam que mães que dão chupeta a seus filhos, os desmamam mais cedo.

O uso do acessório em excesso não é bom. Na verdade, nada em excesso é bom. Os pais devem usá-lo com cautela, procurando não ofertar ao filho desnecessariamente.

Utilizá-la na hora de dormir para trazer calma é uma boa opção.

Chupeta de bebê: saiba quais são seus prejuízos e como retirá-la dos  pequenos!

O uso exagerado da chupeta, pode causar problemas na face como otite, infecções pelo risco maior de contaminação, dificuldades na fala, e problemas dentais se a criança for maior de 2 anos.

Mas, se você já fez a oferta ao seu bebê já está acostumado com ela, não se preocupe. Listamos algumas dicas para seu uso ser mais proveitoso e livre de contra indicações.

Confira dicas para usar chupeta na medida certa

  • Existem diversos tipos, entre marcas, modelos e cores. Para escolher a melhor, observe seu tamanho e para qual idade é indicado. Existem chupetas ortodônticas que não atrapalham a formação dos dentes.
  • higienize-as sempre, lavando-as com água quente todos os dias, pelos menos durante os primeiros três meses de vida. Isso porque o bebê ainda não possui o sistema imunológico fortalecido, e fica propenso a maiores infecções. Troque-as sempre que ficarem feias, desgastadas e rasgadas.
  • controle o uso da chupeta conforme a necessidade, crie hábitos para seu uso, como antes de dormir por exemplo, para que seja um acessório usado pra necessidade e não um ciclo vicioso.
  • quando os primeiros dentes começarem a nascer, comece a retirar o uso da chupeta da vida da criança, para não atrapalhar na dentição. Diminua o uso um pouco por dia, e a retirada não será sofrida para ambos.

A chupeta não é um vilão, desde que usada com cautela, cuidado e de forma necessária, sem exageros.

Leia também se estiver em dúvida sobre dar ou não fórmula para o seu bebê!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.