baby blues

Qual a diferença entre Baby Blues e Depressão Pós Parto?

Você sabe diferenciar baby blues de depressão pós-parto? Se você tem essa dúvida, ela vai sumir hoje. Continue lendo e descubra!

A descoberta da gravidez é um momento mágico na vida de toda mulher. Preparar o quarto, as roupas, e tudo o que envolve a criança já é uma preparação do que está por vir. A chegada de uma criança é motivo de muita alegria para toda a família. Mas, nem sempre é motivo de felicidade para uma mãe, e vamos explicar o porquê.

Quando grávida, as mulheres passam por grande alteração hormonal. E quando a criança nasce, a mulher também passa por alterações hormonais para que o corpo comece a voltar à sua forma antes da gravidez. Ao passar por essas mudanças, a mulher fica frágil, e tende a ter sintomas como tristeza constante, medo, sentimentos de incapacidade, irritabilidade e desânimo sem motivo.

→ Descubra o que é necessário para o enxoval do seu bebê!

Essa tristeza é chamada Baby Blues. Blues significa “tristeza” em inglês, e é essa tristeza que a mulher sente após dar à luz. Além da tristeza, a mulher costuma sentir-se incapaz de cuidar do filho, ficando muitas vezes sem dormir, sem se cuidar, focando a atenção totalmente na criança.

Geralmente essa sensação de tristeza e sentimento de impotência causado pelo baby blues costuma durar de 10 a 15 dias, que é o tempo em que as alterações hormonais estão maiores, tendendo a diminuir depois desse tempo e desaparecer completamente.

Durante essa etapa, é importante o apoio emocional e físico à puérpera, pois as mulheres que possuem apoio e se sentem acolhidas durante esse período de adaptação, tendem a não possuir ou passar rapidamente por essa fase deprimida, sem sintomas muito intensos.

As mulheres que possuem uma maior informação sobre o que acontece com o corpo e mente nos primeiros dias de vida do bebê, tendem a passar por essa fase de modo mais fácil, visando que a família deve conhecer também as alterações hormonais e físicas que a mãe sofre, facilitando o auxílio durante essa etapa. O melhor tratamento para o baby blues é o apoio familiar e o carinho.

Diferença entre depressão pós parto e baby blues

A maior diferença entre o baby blues e a depressão pós parto é a duração de ambos. Enquanto o baby blues dura de 10 a 15 dias após o parto, a depressão pós parto tende a durar mais tempo, sem cessar e sem proporcionar nenhum tempo de alegria à puérpera.

Na depressão pós parto, a mulher apresenta várias mudanças emocionais ligadas a tristeza, como culpa, inutilidade, pensamentos pessimistas e de que não consegue cuidar da criança da forma como deveria, e muitas vezes pensam em suicídio e rejeitam seus bebês. As mulheres que sofrem depressão pós parto também não se cuidam, não se socializam, não comem e não sentem vontade de viver.

Diferente do baby blues, na depressão pós parto é preciso o acionamento de um médico e um tratamento adequado deve ser implantado, para evitar que chegue a um nível de atitudes severas.

O baby blues não é o início de um quadro de depressão. Geralmente, as mulheres que desencadeiam a depressão pós parto já possuíam algum quadro de doença psiquiátrica antes ou durante a gravidez, sendo a queda hormonal o motivo para acentuação da doença, além da falta de apoio familiar, doenças pré existentes da mãe, e também doenças físicas no bebê.

Quando diagnosticada a depressão pós parto ou o baby blues, é importante demonstrar para a puérpera que está tudo bem, e que não há nada de errado com ela ou com o bebê. Há algumas maneiras da familiar ajudar essa puérpera como:

1- Ajudar nos momentos de descanso da puérpera, cuidando do bebê para que a mãe possa tomar um banho, se cuidar, dormir, ou ter um momento de tranquilidade com o esposo.

2- Conversar e ensinar: Toda puérpera sente dificuldades e possui dúvidas quanto ao cuidado com seus filhos. Conversar e escutar experiências de outras mães e mulheres ajuda e muito no cessar dos sintomas do baby blues, pois ter ajuda faz toda  a diferença.

3- Compreender o processo: Ser compreendida quando não se está bem, é essencial para alguém que está sofrendo. Saber que as pessoas a entendem e sabem que o que ela está passando não é frescura, já é um grande passo no auxílio a essas mulheres.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.